«

»

Governador visita aldeia e anuncia ações em benefício do povo indígena

Governador participa de dança com os índios na Baía da Traição (Zé Marques/Secom-PB)

O governador Ricardo Coutinho visitou nesta terça-feira, 19, a aldeia São Francisco, na Baía da Triação, e participou dos festejos alusivos ao 19 de abril, Dia do Índio. Ricardo foi o primeiro governador a visitar a aldeia nesta data e participar de rituais em memória dos guerreiros potiguaras.

Logo na chegada à aldeia, o governador foi recebido pelo cacique Alcides, que colocou o colar, um cocá e entregou uma lança a Ricardo Coutinho. Após o discurso das autoridades, o governador participou de todo o ritual do Toré ao lado dos caciques, pajé e os índios da aldeia e plantou uma muda de pau-brasil, simbolizando a preservação da natureza e o futuro da nação potiguara. Índios de outras aldeias da região também participaram das festividades, que contou com uma feira de artesanato e culinária indígena.

Ricardo Coutinho disse que a sua presença na aldeia São Francisco significa mais que a celebração do Dia do Índio, que é importante para a preservação da tradição indígena, mas o reconhecimento público do governador de todo o descaso e a segregação com que foram tratados e o compromisso desse governo em dialogar com o povo indígena sobre educação, saúde, segurança e preservação de sua memória.

“Vim aqui para aprender e também construir essa ponte entre o governo do Estado e os povos indígenas. Qualquer governo que queira estar no campo da inclusão tem que reconhecer as diversidades existentes e olhar para os ciganos, os índios, os negros e todos os povos que compõem a diversidade do povo brasileiro”, ressaltou o governador.

Em seu discurso, Ricardo informou que o governo irá construir uma escola indígena na aldeia Brejinho, em Baia da Traição, e reformar outras escolas, além de  solicitar o retorno do curso de licenciatura indígena na UFPB, em Rio Tinto. “Vamos dialogar com a comunidade indígena um método educacional que promova a inclusão das crianças e jovens, mas ao mesmo tempo garanta a preservação da cultura dos seus antepassados”, ressaltou Ricardo.

O governador destacou a importância do Empreender Paraíba no apoio ao artesanato indígena e da agricultura familiar que precisa ser incrementada.  Ele também anunciou que irá criar uma assessoria especial do povo indígena na Secretaria da Mulher e Diversidade Humana para trabalhar as políticas para o índio.

Ricardo informou que se reunirá com a presidente da República Dilma Rousseff e com a direção da Fundação Nacional do Índio (Funai) e representantes indígenas para pedir o retorno do escritório da fundação para a Paraíba, já que ele foi fechado recentemente e está instalado agora no Ceará. “A população indígena da Paraíba é de mais de 15 mil pessoas, uma das maiores e era uma das mais organizadas. Infelizmente a saída da Funai prejudicou muito esse povo”.

O cacique Alcides agradeceu ao deus Tupã uma visita tão ilustre como a do governador Ricardo Coutinho e disse que este foi um momento histórico para a nação Potiguara. Ele destacou que guardará este dia como uma chave para que o governador e os seus secretários não esqueçam o dia e as necessidades do povo indígena.

Dentre as reivindicações dos índios estão a dragagem dos rios Sininbu, a melhoria das escolas, a restauração da igreja São Miguel, que é um monumento histórico que está em ruínas, e a aquisição de um caminhão para o escoamento da produção.

Márcia Lucena, secretária executiva de Educação, ressaltou que as equipes da secretaria estão abrindo diálogo com as comunidades indígenas e estará investindo com recursos do PAR (Plano de Articulação do Governo Federal) em uma escola de 1º e 2º grau. “Estamos discutindo ações pedagógicas com uma comissão executiva para se reunir após a Semana Santa com representantes de escolas indígenas ou não nos municípios de Rio Tinto, Marcação e Baia da Traição para valorizar e preservar essa cultura”, concluiu.

Para o secretário de Cultura do Estado, Chico César, este é dia especial para todos que são descendentes dos povos indígenas e agora é hora de incorporar essa cultura com a produção de ideias, de artesanato, da cultura, de alimentos. Também estiveram nas festividades os prefeitos de Baia da Traição, José de Oscar; de Capim, Sérgio Lima, e de Marcação, Edfrance Silva.

Via Secom-PB

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services