«

»

fev
23

OS PRÍNCIPES DO DESTINO – PARTE VII

SEXTA REUNIAO

O miserável que acabou ficando rico

Ninguém era mais pobre que Babatogum, mas também ninguém era mais atrevido do que ele. Quando os príncipes do destino se juntaram na casa de Ifá para seu sexto encontro, contou o príncipe Icá, assistido pelo príncipe Obará, que Babatogum, sem razão aparente, um dia pôs se a andar pela praça da cidade feito um desvairado, falando mal de todas as pessoas respeitáveis do lugar. Dizia que ninguém era capaz de nenhum gesto digno. Que eram todos, no fundo, fracos e incapazes. Proclamava que muitos tinham dinheiro, sim, mas que ninguém tinha poder suficiente nem para mudar a vida de um mendigo. Ridicularizava todo mundo, não poupando ninguém.

Babatogum havia gastado suas minguadas economias, que juntara de esmolas e ajutórios que lhe davam, e comprado galinha, inhame, cebola, pimenta e dendê para fazer um guizado delicioso que oferecera a Exu,o Mensageiro, pedindo sua ajuda e proteção  Sabia que Exu sempre socorria os que lhe fazia oferendas. Ainda mais com uma comida deliciosa como aquela! Então  quando o mais rico dos senhores daquela terra passou pela praça a caminho do palácio real, Exu o chamou e disse que prestasse atenção nas coisas que o pobretão estava dizendo a todos, pois o que ele dizia respingava na honra do rico senhor.

Babatogum estava no auge de seu discurso. Quando viu o milionário se aproximar, Babatogum apontou-o com o dedo em riste e começou a chama-lo de inútil e incompetente. O homem rico mandou que o pobre se calasse. Onde ja se viu um joao-ninguém desfeitear daquele jeito um homem rico e poderoso? “Que homem rico e poderoso? Não vejo nenhum aqui”, retrucou com desdém Babatogum. “Não”, ele gritava, “ninguém é poderoso como pensa que é.” O milionário ficou muito magoado, pois se considerava alguém de muita importância  capaz de alterar ate mesmo os destinos do reino. Sua vaidade estava ferida. Então Exu cochichou alguma coisa no ouvido do ricaço e o homem rico disse com autoridade ao mendigo: “Vou te dar provas de meu poder, sim, senhor. Vou te mostrar meu prestigio e minha importância. Vou fazer-te milionário como eu”. Pegou Babatogum pelo braço e pôs se a passear com ele pela praça. O homem pobre e o homem rico, de braços dados. Todo mundo que passava via e ficava impressionado. Se o homem que passeava com o milionário era tao seu amigo, ele so podia ser alguém igualmente rico e importante. No final da tarde, o homem rico despediu-se, dizendo a Babatogum que sua vida ia mudar bem cedo, por conta do prestigio que ele lhe transmitira. Então vieram muitos banqueiros e comerciantes e ofereceram credito para Babatogum expandir seus negócios  Muitos homens de dinheiro quiseram fazer sociedade com ele. E negocio aqui, negocio ali, Babatogum acabou sendo o súdito mais poderoso do reino, o mais rico de todos os homens daquela paragens.

Exu acompanhou tudo de longe e adorou o final. Quando voltava de suas intermináveis viagens, levando encomendas e trazendo recados, sempre passava pela encruzilhada para comer as oferendas deliciosas que o grato Babatogum a ele destinava.

Como essa historia de Icá e Obará terminou em comida, os dezesseis príncipes do destino, esfomeados, mais do que depressa passaram à sala dos banquetes na casa de Ifá, no Orum.

_______________________________________________________________________________________________________

A continuar….

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services