«

»

fev
27

O Culto de Egungun

O culto nasceu da independência de Oyá do poder dos homens. As façanhas que dão a ela o domínio dos ancestrais são muitas, mas a mais conhecida é a de que o próprio Rei da Terra lhe deu esse poder.

Oyá morou com Odé, com quem aprendeu a caçar. Com Oxaguiã aprendeu a usar a mente e a pilar as folhas. De Ossanha aprendeu alguns segredos das folhas. Com Ogum aprendeu a lutar e pegou de Xangô o poder sobre o raio e as tempestades.

Oyá mostrara pra todos os homens que era auto-suficiente e que não dependia deles. Mas de todos os reinos só não tinha recebido o dom do próprio rei da Terra. Chegou ao reino de Obaluaê confiante, e logo se chegou para o senhor que não expressava nada.

Oyá que sempre fora muito sensual começou a dançar, mas nem isso fez com que ele se curvasse a seus encantos. Ela, já sem alternativas dançou pelos sete cantos da Terra, dança que nenhum homem jamais resistiu e poucos foram testemunha, mas NADA.

“Por quê? Por que não te atraio? Ou não me vês?”

Obaluaê se dirigiu a ela e disse:
“És linda. Mas não é assim que conseguirá nada de mim”.

Oyá então postou-se de joelhos e implorou que Obaluaê a ensinasse algo. Foi então que esse lhe deu o Eruexim e disse: A partir de hoje controlará os espíritos. Será a guardiã do limiar da morte. É dever de Oyá guiar as almas para os planos espirituais. Desde então ela (algumas qualidades) tem o dever de guiar os mortos para o Orún (céu).

Eparrey!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services