«

»

Espiritualidade e Merecimento

Hoje quero falar sobre espiritualidade e seu “merecimento”.
Penso que como Pascal afirma o “esprit de geometrie, e o esprit du coeur.” Ou seja existe a razão das ideias e um intelectos dos sentimentos. Cito também o poeta Gerhard Tersteegen que escreveu: “Fecha as portas dos teus sentidos e busca a Deus lá dentro, em profundidade”.
A primeira de nossas responsabilidades deve ser o “cuidar” de nosso próprio equilíbrio. Noto que nos deixamos influenciar pelos outros e muitas vezes nos deixamos envolver em assuntos que não nos dizem respeito, com isto acabamos por absorver movimentos/energias que não são nossas, o resultado ficamos maus.
Uma boa prática ainda é o calar e observar, agirmos menos por impulso colabora para que possamos conter nossos arroubos de opinião sobre a vida alheia.
O Candomblé, ou seja, o Ilê é um templo onde os orixás nos mostram e trazem elevações espirituais, mas afinal o que é mais importante, o principal me atrevo a dizer é o nosso entendimento e o respeito do que realmente são nossas elevações espirituais. Quando falo aqui de merecimento saliento que espiritualidade não é S.O.S. para ser chamada por tudo em tudo. Teremos nossos benefícios sejam materiais ou espirituais conforme saibamos lidar com os problemas que vivenciamos sejam bons ou ruins.
Quando a espiritualidade que nos guia e nos colocam na direção correta para que nós mesmos e com nossos atos e praticas possamos agarrar as ideias devemos ter sempre em mente o que fazer com elas. Quando recebemos algo do espiritual não é um “presente” ou algo do tipo, mas sim a resposta daquilo que estava em nosso merecimento. Precisamos ainda amadurecer no sentido de que nada nos chega do “nada” e muito menos na “hora” que nos apraza.  Não meus queridos, temos que entender que merecimento tem a hora certa da colheita, que este momento foi trabalhado para ajudar a colher quem “plantou”, portanto podemos concluir que por meio do merecimento nosso trabalho foi concluído lembrando sempre que vem somente através de nosso próprio esforço.
Quando entramos ou canalizamos nossa energia com o cosmo temos que ter bem claro que devemos estar de coração aberto para receber as orientações que nos chegam, pois é lei da vida que temos que aprender a lidar com o próximo e conosco mesmo e com todos os contra-tempos que surgem. Pois que somente se eleva quem aprende a viver bem com as diversidades da vida.
Enfim merecimento é causa de um efeito praticado por nós mesmos. Nosso espírito evolutivo tem o poder e o discernimento de fazer suas escolhas. Equilíbrio é conquista e nos traz um sentimento alegre e de bem estar com a vida. Traz também lucidez e sabedoria.
Viver em paz conosco nos encoraja a enfrentar todos os desafios em nossa caminhada. Aliados ao merecimento devemos manter nossa fé em Deus e no potencial de que somos espíritos eternos isto posto vemos a grandeza que é á vida e a linda oportunidade de podermos estar aqui.
Axé!

“Eni ti o jin si koto ko ara ehin logbon, adaniloro fi agbara k’o.”
“Aquele que cai em buraco ensina aos que vêm atrás a terem cuidado”

Por: Leonardo Maners e Iyá Lúcia Omidewá

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services