«

»

fev
28

OS PRÍNCIPES DO DESTINO – PARTE X

NONA REUNIÃO

A mãe dos peixes leva para seu reino os filhos homens

Na  nona reunião foram narradas dezesseis historias, mas a que mereceu aplausos incontidos foi a contada por Ossá. A historia falava de Iemanjá, que era casada com o rei Oquerê. Eles viviam bem, cumprindo os acordos matrimoniais, mas um dia cada um falou mais do que devia e as palavras de um ofenderam gravemente o outro. Brigaram como nunca tinham brigado antes. Dolorosamente, agressões verbais se materializaram. Temendo a fúria de Oquerê, Iemanjá fugiu, correu desabalada. Ele foi atras dela, perseguiu-a pelas estradas. Quando Oquerê alcançou Iemanjá e se lançou sobre ela, ela caiu no chão, quase vencida. Mas Iemanjá tinha um frasco que sua mãe, que era Olocum, a Senhora do Oceano, lha dera. Ao cair, Iemanjá derrubou o frasco e o mesmo se abriu. em seu conteúdo  liquido se formou um caudaloso rio. E fugindo pelo rio la se foi Iemanjá. La se foi Odoiá, que na língua do lugar é Mãe do Rio.

O rio ia levando Iemanjá em fuga para o mar, para o oceano, que era o reino de sua mãe  Mas o rei se transformou numa montanha e interceptou a fuga do rio que corria para o mar. Desesperada, Iemanjá chamou por seu filho Xangô, deus do trovão  Xangô lançou seus raios pela montanha e a partiu em duas, abrindo caminho para o rio, que prosseguiu na direção do litoral. Em meio às trovoadas de Xangô, Iemanjá prosseguiu seu curso e alcançou o mar, alcançou a proteção de sua mãe no mar, onde ela reina ate hoje, onde sucedeu a mãe e é rainha. Rainha do Mar, Iemanjá.

Como essa historia merecia muitos aplausos, Ossá acrescentou que ainda havia o que dizer de Iemanjá naquela nona reunião na casa de Ifá, no Orum. Contou que o mar é o reino de Iemanjá e ela é a mãe de tudo que ali tem vida. Os peixes, os mamíferos marítimos, os moluscos, tudo pertence a Iemanjá  tudo é filho seu. Iemanjá quer dizer exatamente Mãe dos Peixes, na língua do seu povo, os iorubás  Quando o mar se enfurece e suas ondas crescem e se precipitam temerosamente sobre a praia, os pescadores sabem que Iemanjá foi ofendida. Sabem que Iemanjá, a mãe do mar, a rainha das águas  está sofrendo pelos filhos peixes que foram arrancados de suas águas pelos pescadores. Os pescadores oferecem presentes a Iemanjá e a chamam de mãe,  pedem sua benção e sua compaixão. Iemanjá aceita os presentes e se acalma.

Mas não passa muito tempo e alguém perde a vida nas águas de Iemanjá  A mãe do mar leva para seu seio profundo o filho pescador, afoga em suas ondas o imprudente nadador. Em algum lugar da vastidão da Terra, em alguma praia, em algum  mar, alguém esta roubando os filhos peixes de Iemanjá. Em troca ela leva para sua companhia algum filho humano.

O banquete serviu para alegrar de novo os príncipes  que não se esconderam a tristeza que nesse final neles provocou, na nona reunião na casa de Ifá, no Orum.

_______________________________________________________________________________________________________

A continuar….

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services