Arquivo por categoria: Itán

Itan sobre Iroko

“No início da humanidade, os orixás tomaram a decisão de plantar uma entidade na Terra. Dessa forma, seria mais fácil para que eles descessem até o planeta em questão e ajudassem a povoá-lo, oferecendo não somente trabalho e comida, mas toda uma vida. A divindade que foi utilizada nessa tarefa se chamava Iroko. Certo dia, …

Continue lendo »

Itan sobre Ewá

“Ewá, assim, como Oxumarê, é filha da Orixá Nanã. Ewá é o horizonte, o encontro do céu com a terra. É o encontro do céu com o mar. Ewá era bela e iluminada, mas era solitária e muito calada. Nanã, então, preocupada com sua filha, pediu a Orunmilá que pusesse um amor em seu caminho, …

Continue lendo »

Itan sobre Oxóssi

Oxossi, garoto ainda, mas já demonstrando paixão pela caça e consequentemente pela mata, saía todas as madrugadas e voltava sempre ao anoitecer, sempre, trazendo uma novidade. Ele tinha poucos amigos, pois era desconfiado. Falava pouco, mas quando escapava uma conversa, falava muito de um amigo, Ossain. A mãe não gostava muito das proezas do amigo. …

Continue lendo »

Itan: Iemanjá, mãe das cabeças

“Olodumare fez o mundo e repartiu entre os orixás vários poderes, dando um reino a cada um para cuidar. A Exú deu o poder da comunicação e a posse das encruzilhadas. A Ogum o poder de forjar os utensílios para agricultura e o domínio de todos os caminhos. A Oxóssi o poder sobre a caça …

Continue lendo »

Itan sobre o Obi

Olodunmare chama os homens para retornarem ao seu lar, porém nem mesmo a morte é capaz de apagar as lembranças os feitos de grandes homens. Obi é um elemento muito importante no culto de Vodun, Orisa e Nkise. A noz de cola, Obi, é o símbolo da oração no céu. É um alimento básico, e …

Continue lendo »

Itàn sobre Otim

Orixá da caça, filha de Erinlé. Alguns dizem ser esposa de Oxóssi (ou, ainda, irmã), e que o acompanha pelas matas, caçando. Defende tanto o caçador, quanto a caça. No Batuque, é cultuado como Orixá feminino. No candomblé (Nação Ketu e Nagô) existem dois Orixás, (qualidades de Orixás) Odé Inlé e Oxum Otin – caçadora, …

Continue lendo »

Conversa de Axé: Itàn sobre Exú

Orisà IKÚ

  ORISÁ IKÚ Ikú é um Orisa de extrema importância, IKÚ é a MORTE. Quando Odu Oyekú Mejí chegou a Terra, a morte ainda não existia. Orisá Ikú (morte) nasce nesse caminho para cumprir sua função no Aye, ele vem para por o fim na vida, o Opirá é momento derradeiro. Mas Ikú antigamente só levava …

Continue lendo »

Itàn: Iemanjá ganha um Ofá de Oxóssi

Oduduwa, o rei de Ilê Ifé e pai de Ogum gostava muito de comer codornas, Oxossi era amigo de Ogum e então prometeu trazer muitas codornas para agradar Oduduwa. Na mata por três vezes ele capturou codornas e as colocou em gaiolas, mas as três vezes alguém abriu as gaiolas e deixou as codornas escaparem …

Continue lendo »

A lenda da criação

Conta a lenda que no princípio dos tempos existiam dois mundos: o Orum, espaço sagrado dos orixás, e o Aiyê, espaço dos seres vivos. No Aiyê primitivo só existia água. Um dia Olodumaré resolveu recriar o espaço para a humanidade que também criaria. Incumbiu, então, seu filho primogênito, Orixanilá (o nome mais sagrado de Oxalá) …

Continue lendo »

Posts mais antigos «

seo services