«

»

out
03

Festa cívica no Axé

Foi realizado às 15h do dia 21 deste mês, domingo, mais uma reunião do núcleo da Paraíba da Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde. A reunião aconteceu na sede do Centro de Cultura Afro-brasileira Ilê Axé Omidewa.

Presidida por Mãe Lúcia e com participação do professor Antônio Novaes, a pauta principal da reunião foi o recadastramento das famílias que recebem cestas alimentares através do programa Fome Zero, do governo federal e entrega das 100 cestas, destinadas ao povo dos terreiros.

Durante o encontro com o povo dos outros terreiros da grande João Pessoa, Mãe Lúcia discursou sobre educação ambiental e consciência ecológica. “Nossa grande mãe é a Terra e seguimos os orixás, que são natureza. Devemos ter noção do que fazemos e boa educação para as oferendas. Não deixar velas acesas nas matas, causando riscos de incêndios, nem recipientes plásticos ou garrafas de vidro, que levam anos para se deteriorar. Nos despachos e oferendas, basta entregar a energia do trabalho e trazer de volta o lixo, que deve ir para o lugar certo. Assim, os orixás agradecem”, disse Mãe Lúcia.

Outro tema discutido na reunião foi a consciência negra e sua influência no censo nacional. Atribuiu o pequeno número de cestas que recebemos na Paraíba, menos de 10% do que o povo de terreiros paraibanos realmente precisa, ao próprio povo que não responde corretamente quando o censo bate à sua porta. “As pessoas se escondem na hora de responder. Não somos católicos nem espíritas. Se a religião é Umbanda, que seja dita Umbanda, se for Candomblé, é Candomblé e pronto! O governo precisa nos conhecer”, afirmou Mãe Lúcia. O professor Antônio Novaes destacou a importância de mostrar ao governo que existimos e quão numerosos somos. “Responder corretamente sobre nossa religião é acima de tudo uma oportunidade”, declarou o professor.

Mãe Lúcia leu para os presentes a carta que foi entregue nas mãos do presidente Luís Inácio Lula da Silva durante evento em que participou. O documento solicitava o aumento no número de cestas alimentares para o povo de terreiro. Antes do término da reunião, foram distribuídas mais de 500 preservativos e foi feito um apelo para que todos os pais e mães de santo institucionalizem seus terreiros com registro e CNPJ, faciliando o acesso dos governos e a chegada de políticas públicas.

O encontro terminou por volta das 19h com a boa notícia de que a partir deste ano, Mãe Lúcia participará das reuniões do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), em João Pessoa, representando todo o povo de santo.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services