«

»

SOBRE A ROÇA DE CANDOMBLÉ


I. Quando saímos de nossa casa e vamos para a roça(barracão) preciamos ter em mente que apesar de ser nossa lar espiritual onde nosso orisa mora, não é lugar para deixar coisas jogadas pelo chão ou pelos cantos. Ambiente limpo é sinal de prosperidade!
II. É de bom tom levar seu material de higiene, inclusive papel higiênico. A roça não tem obrigação de ficar fornecendo as coisas. Contribua, participe, seja ativo.
III. Banheiro esta sujo? Lixo cheio? Seu irmão não fez? Faça você! Não cai a mão! Ao ver um irmão sujando ou emporcalhando o ambiente, educadamente chame ele a razão, não precisa brigar nem discutir, mas se o dialogo não se estabelecer, comunique seu zelador.
IV. Fofoca, cara feia, mal humor… Isso vai existir em TODAS AS CASAS, porque são pessoas de educação e famílias diferentes tentando congregar. O que muda é o pulso do zelador e o caráter do mesmo. Se o mesmo não da margem para que a picuinha renda, a convivência se torna muito amis agradável.
V. A casa não serve mais para você? Mas foi ela que lhe acolheu, bem ou mal o zelador usou o conhecimento que tinha. Mude de local, mas não cuspa no prato que comeu e respeite a sua navalha. A gratidão pelo aprendizado que teve(bom ou ruim) é uma forma de evoluir.
VI. Contribua financeiramente para a sua casa de ase. La mora seu orisa, o que o zelador vai fazer com o dinheiro não lhe diz respeito, ele vai acertar as contas com o lado espiritual, faça a sua parte;
VII. Amar o orisá é passar por cima do orgulho, da vaidade, do ego.
VIII. A função na roça é um momento importante. É onde se aprende, onde se vive e onde de comunga com a energia do orisa. Participe, busque se envolver. Um yawo comprometido com o orisa é abençoado todos os dias. O Shopping pode esperar já eu a função não é todo dia.
IX. Ao levantar e ao deitar agradeça seu orisa.
X. Irmão de santo nem sempre é agradável, alguns fazem questão da fofoca, outros são puxa saco, outros folgados. No entanto saiba aprender observando e valorize o que cada um tem de bom. Isso mostra o seu amadurecimento dentro do culto.
XI. Mantenha sua roupa de ração completa, limpa e com seus fios de conta e tudo o mais que fazer parte da sua casa. O bom yawo cuida dos seus pertences.
XII. Compre uma eni(esteira) e leve para a sua casa ou guarde na sua. Em dias de função pesada e com muita gente, pode ser necessário para que você descanse um pouco.
XIII. Percebeu que falta algo para agilizar? Em vez de reclamar faça uma vaquinha entre os irmãos e compre ou se tiver condições compre você mesmo. Tome atitude em vez de reclamar.
XIV. Nunca minta para o seu orisa.
XV. Estude, procure a sabedoria, o conhecimento. Yawo burro e despreparado é um atraso. Aquele que busca o orisa precisa buscar conhecer. Observe os evangélicos eles sabem argumentar porque conhecem do que falam. Seria bom adquirirmos esse hábito deles.
XVI. Conheça a constituição, leia sobre seus direitos perante o culto, participe de eventos e reuniões inter religiosas. Ser ativo é uma forma de participar e defender a sua fé!
XVII. Respeite os outros credos. Quando temos postura, mesmo o mais rebelde se cala. Uma postura de respeito à si e com o outro faz com que ele baixe as armas do ataque.
XVIII. A alegria faz parte do culto, nossos antepassados cantavam o tempo todo. Esta na roça? Cante, seja alegre, participe. Se seu humor não esta legal, fique em casa, não desconte nos irmãos e na casa sua falta de atitude na vida e seus problemas.
XIX. Orisa da caminhos, não é uma maquina de resolução e de formar milionários.
XX. Seja senhor das suas palavras para não ser escravo delas. Lembre-se do poder do ofô(palavra) no culto. Ouça mais e fale menos

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

seo services